Conheça os segredos que a rolha do vinho preserva!

Descubra os tipos de rolhas de vinho e sua importância:

Não há como pensar em uma garrafa de vinho sem considerar a presença da rolha, a qual para uns significa uma dificuldade, enquanto para outros uma boa oportunidade de demonstrar a habilidade de saca-lá charmosamente para liberar, juntamente com a leve pressão, o suave odor do vinho.

segredos da rolha de vinho
Dos primórdios até algum tempo atrás a rolha de cortiça reinava de forma sublime o inebriante mistério de Baco, mas depois passou a contar com a companhia jovem das tampas de rosca e a rolha sintética.
Entretanto, através da rolha é possível conhecer a qualidade de um vinho, ou seja, ela possui uma importância superior ao simples fato de fechar de uma garrafa ou garrafão. E se você não sabe como acontece esse tipo de processo deve acompanhar atentamente este artigo até o final.
Do Sobreiro às garrafas (e também garrafão)
A cortiça, como conhecemos, passa por um longo processo de gestação e preparação até chegar às garrafas. Sua origem reporta-se a uma árvore conhecida como Sobreiro que é facilmente encontrada em Portugal, Norte da África e na Espanha.
Após 40 anos de produção, a “matéria-prima” demora quase mais 10 anos para chegar ao modelo final.
Desde que o vinho é produzido – nos idos dos tempos do Império Romano – muitos apreciadores fazem questão de degustar a bebida, cujo fechamento deve ser somente com a rolha de cortiça, pois se acredita que a mesma é a única a preservar a qualidade do vinho. Será que isso procede? Vejamos a seguir.

Deguste também: Excelentes vinhos nacionais, rotisseria e restaurante num só lugar!

TCA: Já ouviu falar?
O TCA ou Tricloroanisol é uma substância conhecida no mercado desde a década de 1970 quando muitos vinhos sofreram contaminação através de rolhas defeituosas que permitiram o contato de impurezas e fungos com a bebida de modo que a acabou estragando.
Dessa forma, com esse incidente a indústria desenvolveu a rolha sintética como alternativa economicamente favorável e que ecologicamente garante a saúde e maior viabilização comercial.
De um lado a tradição, de outro a inovação
Defensores apaixonados de um lado ou de outro defendem e acusam os tipos de materiais utilizados para a confecção das rolhas (ou tampas).
Por mais que a sintética ganhe espaço no mercado e assim prometa maior proteção ao vinho contra a possível ação do TCA, a rolha tradicional, ou seja, de cortiça permite reconhecer a qualidade ou identificação de problemas no vinho.
Se esse assunto é uma novidade para você saiba que vou te mostrar como é simples e fácil reconhecer a qualidade de um vinho através de sua rolha… De cortiça!

Experimente também: Viagem enoturística pela Serra Gaúcha e Vale dos Vinhedos
Como reconhecer a qualidade do vinho pela rolha?
O método simples permite verificar se a bebida não se tornou Bouchonné ou vinho rolha, ou seja, se a mesma não sofreu contaminação. Por acaso e em algum momento você viu alguém cheirando uma rolha? Se você achou que era somente alguma mania se enganou, pois através do odor da rolha é possível identificar a “saúde” do vinho.
E, para fechar, o segredo da preservação de um bom vinho se encontra na sua forma de armazenamento, a qual deve ser deitada para que a rolha não encolha e preserve a vedação e a proteção contra a passagem do oxigênio para não estragar a bebida.
Entre preferências e disputas pelo melhor tipo de rolha essa “briga” entre os modelos de rolha devem continuar. E agora te pergunto: Qual é o seu preferido? Deixe a sua mensagem nos comentários abaixo. Até mais!

o melhor antioxidante do mundo!

Autor: admin

Compartilhe este artigo no

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *